Berço seguro: saiba como identificar antes de comprar!

Manter a segurança no quarto de bebê é uma questão muito importante. Nos EUA, por exemplo, acidentes envolvendo berços e colchões representam 18,6% dos relacionados a equipamentos para bebês, e as ocorrências mais frequentes são as quedas. Sendo assim, para assegurar a sua tranquilidade e a de seu filho, é importante tomar alguns cuidados na hora de escolher os móveis do quarto do bebê, principalmente o berço seguro.

Se ainda tem dúvidas sobre o assunto, não se preocupe! Acompanhe o nosso post e entenda quais são os requisitos de um berço seguro.

Como escolher um berço seguro, e de acordo com as normas do Inmetro para o bebê?

O selo do Inmetro (com alterações na portaria 53/2016) comprova que o berço passou por exigentes testes de qualidade que certificam sua durabilidade, resistência e garantem a segurança do bebê.

E, para que você saiba de forma rápida e fácil como testar os principais pontos exigidos pelo Inmetro, preparamos a seguir um checklist muito simples e especial!

Grades

As grades precisam ser fixas e com distância máxima de 6,5cm entre as ripas. Isso evita esquecimento de grade abaixada, queda da grade por movimentação do bebê e até mesmo que o bebê enfie o ombro, a cabeça ou passe entre as ripas.

É importante também medir a altura do estrado (em sua altura mais baixa) até o final da grade e garantir que tenha no mínimo 60cm para evitar eventuais saltos do bebê quando ele for um pouco mais velho.

Estrado e Colchão

Existem vários tipos de estrado, em ripas, placas inteiras… e isso acaba não sendo muito relevante, desde que seja feito com material de qualidade. O ideal aqui é que ele seja firme e tenha espaços para ventilação do colchão.

Já para a segurança dos bebês o principal é se atentar ao vão que fica entre o estrado e a lateral do berço, que não pode passar de 3cm. Vai evitar que o bebê coloque e prenda as mãos e os pezinhos nesse espaço.

O colchão também precisa de certificação do Inmetro e não deve passar de 12cm (alt) para não reduzir a altura da grade, e assim facilitar a queda (ou pulo em alguns casos).

Rodas, Pés e Pintura

Caso opte pelas rodas, verifique se tem travas confiáveis em pelo menos duas, dessa forma o berço não sairá do lugar em horas inapropriadas.

Já os pés, temos de vários estilos e modelos e o importante aqui é se atentar ao vão que fica entre o chão e a grade! Esse vão precisa ser menor do que 10cm ou maior do que 23cm. E por que isso é importante? Para garantir que o bebê não fique preso lá em baixo quando estiver engatinhando pelo quarto.

A pintura do equipamento deve ser feita sempre com tinta atóxica, adesivos, etiquetas e decalques não podem ser colados na parte interna.

Materiais Diferentes

Fique atento a modelos feito com palha, acrílico ou materiais muito diferentes de madeira. São materiais que dependendo da aplicação podem não ter a mesma resistência, e por isso exija sempre ver o selo do Inmetro antes de comprar.

Atenção aos parafusos, Quinas e Pontas

Independentemente da escolha do estilo do berço, é importante que não tenha quinas vivas, farpas ou defeitos nas hastes. Mas não confunda…isso não quer dizer que só pode comprar berço arredondado! Apenas passe a mão e veja se machuca, incomoda ou solta alguma coisa.

A cabeceira e peseira precisam ser mais lisas e não podem ter aquelas pontas altas, que são lindas e sempre presentes em camas clássicas (e nos berços de antigamente). Berços com esse detalhe são reprovados de imediato no Inmetro, pois não passam no “teste do colar” – um teste que simula o bebe ficando preso por um cordão de chupeta ou colar.

As buchas para montagem e desmontagem deve ser metálica, e nunca com o parafuso fixado diretamente na madeira. E tapa-furos são proibidos pois podem facilmente sair do berço direto para a boquinha do bebê. 😉

Principais Perguntas

Selecionamos também as duas principais perguntas que recebemos, que são: “Posso fazer o berço com meu marceneiro? ”, “É seguro comprar um berço usado?”.

Fica por aqui que vamos te mostrar como evitar todas as ciladas para garantir a segurança do seu bebê!

Posso fazer o berço com o meu marceneiro?

Sim! Quem pensou que a resposta era não se enganou.

Apenas é necessário que ele siga todas as normas e submeta o berço para análise e certificação do Inmetro! Veja que só seguir as normas não é suficiente, pois nos testes o Inmetro assegura e garante que os materiais usados são de qualidade e se de fato está tudo dentro dos padrões de exigência!

Para conseguir ter o selo, a marcenaria tem que estar dentro dos padrões de segurança e trabalho, e precisará também pagar uma taxa, o que pode encarecer um pouco o seu projeto!

É seguro comprar um berço usado ou pegar de um amigo?

Pode sim! Não existe prazo de validade para móveis! No entanto é importante verificar se o berço tem o selo do Inmetro e se foi fabricado após 2016, quando as normas foram atualizadas.

Você também pode olhar as condições do produto, como são as buchas, se tem fiapos, se a tinta está descascando, etc, e usar nosso checklist acima para garantir os principais pontos de segurança.

Espero que tenha ajudado! A segurança dos nossos pequenos é o mais importante não é mesmo?! Se tiver mais alguma dúvida, pode entrar em contato com a gente pelo e-mail contato@lilibee.com.br.

E se você gostou do texto, achou relevante, compartilha nas suas redes sociais! Esse pode ser um momento de troca importante com outros pais sobre o assunto.

Até a próxima!


Por | 2019-05-15T18:17:31+00:00 29 de Janeiro de 2019|0 Comentários

Sobre o Autor:

Designer de produtos, administradora de empresas e mãe da Julinha e do Rafa. Em 2011, fundou a marca Lilibee pensando em soluções bonitas, funcionais e exclusivas. Sempre com o propósito de ajudar outras mães a terem o quarto dos sonhos.

Em sete anos já conta com mais de 3.500 projetos completos de QUARTOS DE BEBÊ E CRIANÇA, além de mais de 4.500 itens disponíveis para venda nas 5 lojas da rede.

Deixar Um Comentário