Começar um negócio do zero ou uma franquia: afinal, qual a melhor opção para mim?

Você decidiu empreender e está na dúvida entre começar um negócio do zero ou uma franquia? Ter o próprio negócio, em qualquer uma das duas modalidades, tem várias vantagens: mais liberdade para controlar o próprio tempo, a oportunidade de trabalhar com algo que você se identifica e mais satisfação pessoal e profissional. Mas qual das duas escolher?

Neste artigo, você vai conhecer as principais diferenças entre as opções para ajudá-lo a decidir entre um negócio do zero ou uma franquia. Confira!

Marca

Ao começar um negócio do zero é preciso tomar muitas decisões. Em qual mercado você quer entrar? Qual será o público-alvo? E o nome da marca? As cores? Como será o logotipo? E assim por diante. Apesar de trabalhoso, se você conhece bem o setor em que está entrando, essas definições lhe darão muita autonomia e dinamismo. Apenas tenha em mente que nos primeiros meses ou anos, a marca ainda será desconhecida e o trabalho de aquisição de clientes é lento.

Ao investir em uma franquia você já começa o negócio com uma marca conhecida do público e com instruções sobre como aplicá-la. Você não terá a mesma liberdade para fazer eventuais mudanças de acordo com seu gosto pessoal, mas o sucesso dessa mesma marca em outras praças pode ajudar o seu negócio a crescer mais rapidamente.

Definição de processos

Especialmente para empreendedores de primeira viagem, um grande desafio é a definição de processos gerenciais. É preciso formular procedimentos para compras, estoque, contratação de funcionários, treinamentos, contabilidade e muito mais.

Franquias, por outro lado, são desenhadas para serem acessíveis a todo tipo de empreendedor. Os franqueadores podem ajudar na definição do ponto da loja, no marketing e no plano de negócios.

Mix de produtos e fornecedores

Definir os produtos que serão vendidos em uma loja é um dos trabalhos mais importantes para seu sucesso. Se você já tem muita experiência no setor e no formato de negócio a ser aberto, isso poderá ser feito em um negócio do zero, que evitará o pagamento de royalties para o sistema de franquia. Porém, normalmente é necessário bastante tentativa e erro, muitas vezes com encalhe de estoque de produtos errados, até uma definição mais precisa do mix.

Nesse processo, a definição dos fornecedores também é fundamental, pois muitos têm problemas de qualidade e atraso e, até você encontrar os parceiros ideais, pode levar algum tempo e dinheiro.

Esse é um dos maiores valores de uma boa franquia, em que o franqueador opera lojas próprias há vários anos. Certamente ele já terá passado por isso e terá uma rede de fornecedores e uma definição de produtos que economizarão muito seu tempo e dinheiro. Além disso, franquias costumam comprar produtos ou matéria-prima de forma coletiva, o que barateia ainda mais os custos de mercadoria.

Acesso ao crédito

Por trabalharem com marcas estabelecidas que têm várias lojas já consolidadas, franqueados têm acesso mais fácil ao crédito. As franqueadoras funcionam como avalistas, já os donos de negócios criados do zero precisam correm atrás de fiadores e outras garantias.

Além disso, alguns bancos apresentam opções interessantes para o setor de franquias. Um bom exemplo disso é a Caixa, que trabalha com linhas de acesso ao crédito para franquias, com produtos e serviços direcionados e o BNDES, que criou uma categoria específica para o setor em parceria com a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Inovações

Novas tecnologias têm mudado profundamente todos os setores da economia. No varejo, em especial, os conceitos de omnichannel são fundamentais para o sucesso de um negócio e os desafios para implementar tais inovações não são pequenos: ERPs bem estruturados, sistemas front-end que forneçam uma experiência de consumo diferenciada, softwares de personalização, ferramentas de marketing digital e muito mais.

Por mais que você entenda dos conceitos, o nível de organização necessário e o investimento nessas ferramentas — milhões de reais em muitos casos — são proibitivos para um negócio do zero. Nesse caso, o ideal é procurar uma franquia que se preocupe com esses aspectos e que invista em tecnologias e processos, tornando tudo acessível para seus franqueados.

Segurança x liberdade

Nesta altura você já percebeu que a principal decisão a ser feita é entre segurança e liberdade.

Negócios do zero podem ser feitos do jeito que achar melhor, com total autonomia para seus criadores. Porém, além do prazo de maturação mais longo, há um risco maior no investimento, pois é um negócio que nunca foi testado.

Já as franquias, por já serem testadas e adaptadas ao mercado durante anos, não permitem qualquer mudança que você queira. Tudo deve ser aprovado, em um processo que elimina eventuais riscos ao modelo existente. São negócios mais seguros e comprovadamente com uma menor taxa de mortalidade entre as empresas.

E então, negócio do zero ou franquia? Seja o que for, o importante é colocar a mão na massa!

Se este artigo foi útil para você, não deixe de conferir também as nossas dicas para quem quer montar um negócio e começar a empreender.

Por | 2018-10-25T10:00:34+00:00 25 de outubro de 2018|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário